Ultra-Thin

Data:
Categoria: TÉCNICA ARTESANAL
“Uma arte por si só, a criação de relógios ultrafinos demanda know-how especializado para a manufatura de movimentos excepcionalmente finos e para consequentemente termos caixas finas.”

Um toque de elegância e requinte na Arte da Fusão

No mundo dos relógios mecânicos, nada transmite mais elegância do que um relógio ultrafino. Uma arte por si só, a criação de relógios ultrafinos demanda know-how especializado para a manufatura de movimentos excepcionalmente finos e para consequentemente termos caixas finas.

Embora não haja uma definição oficial para classificar um relógio como “ultrafino”, é consenso que a peça como um todo deve ser proporcionalmente fina em relação ao perfil da caixa.

De um ponto de vista mais técnico, a criação de movimentos ultrafinos exige a concepção e o desenvolvimento de novos movimentos, em que tanto a arquitetura quanto a espessura de cada componente devem permitir uma altura mínima geral. Isso pode ser particularmente difícil, na medida em que o movimento deve permanecer fino sem comprometer a robustez e a precisão, como resultado de peças mais finas e delicadas.

O esforço da criação de relógios ultrafinos só se torna mais desafiador à medida que mais funções e complicações são adicionadas à equação, como calendários, indicações de reserva de marcha, corda automática e até mesmo escapamentos de turbilhão.

Usando técnicas de fabricação e máquinas de última geração, a produção da Hublot é capaz de criar componentes para movimentos ultrafinos com precisão de um mícron, abrindo um mundo de infinitas possibilidades em design e implementação de movimentos.

Artigos relacionados